Tomar sobre nós o nome de Cristo é um privilégio ou uma responsabilidade

Tomar sobre nós o nome de Cristo é um privilégio ou uma responsabilidade?
Pensando nesta pergunta, veio-me a mente a idéia de que muitos da geração moderna clamam muito sobre “direitos humanos”, entretanto os mesmos pouco clamam sobre “deveres humanos”… isso é uma verdade, basta apenas verificar com olhos um pouco mais atentos ao seu redor, que observará muitos com essa tendência. Não que seja errado buscar e lutar por direitos humanos, porém, que os deveres humanos sejam igualmente proclamados. Em 1829, na cidade de fayette, estado de Nova York, 03 pessoas, a saber, Joseph Smith, Oliver Cowdery e David Whitmer suplicavam ao Senhor em busca de conhecimento adicional sobre o sacerdócio e receberam uma das mais lindas revelações que nós dá um pouco de luz e conhecimento sobre tomar sobre nós o nome de Cristo. O Senhor manifestou sua vontade que está registrada na seção 18 de Doutrina e Convênios. Ficou evidente naquela revelação, de forma clara e inequívoca que certamente é um privilégio tomar sobre nós o nome de Cristo, mas que também esse privilégio carrega consigo grandes responsabilidades… Versículo 21. “Tomais sobre vós o nome de Cristo e falai a verdade com seriedade”. Tomar sobre si o nome de Cristo é um privilégio dado a poucos nesta terra, entretanto é também uma responsabilidade , ou seja jamais mentir, nem tampouco conduzir as coisas de seu reino com leviandade. Versículo 22. “E todos os que se arrependerem e forem batizados em meu nome, que é Jesus Cristo, e perseverarem até o fim, serão salvos”. Certamente que ser batizado em nome de Cristo é um privilégio, porém, é uma responsabilidade arrepender-se de seus pecados antes de fazê-lo e também é outra responsabilidade perseverar até o fim; milhares começam bem animados como fogo de palha e logo apagam… Versículo 23. “Eis que Jesus Cristo é o nome dado pelo Pai; e não é dado qualquer outro nome pelo qual o homem possa ser salvo”. É um privilégio receber o nome de Cristo através do Pai; é também um privilégio saber que apenas o o nome de Cristo pode salvá-lo; você poderia ter nascido numa nação onde nada se sabe sobre Cristo; n’outra nação que se prega contra Cristo ou numa nação onde se prega sobre um outro nome… Ou seja, você poderia ter tomado sobre si o nome de Buda, de Confúcio, de Maomé, Gandhi, Allan Kardec ou outros… Não, você teve o privilégio de numa população de aproximadamente 07 bilhões, ser “um” entre 2,2 bilhões que professam ser cristãos, o que representa apenas 31% e se comparar-se com um número de 16 milhões de membros da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, você representa apenas 0,002%… não é mesmo um grande privilégio? Versículo 24. “Portanto todos os homens devem tomar sobre si o nome que é dado pelo Pai, pois por esse nome serão chamados no último dia” Mais uma vez, tomar sobre si este nome sagrado é mesmo um privilégio, mas tem a responsabilidade de jamais esquecê-lo e sim lembrá-lo sempre, sob pena de não atender a voz do mestre quando Ele chamá-lo! Versículo 25. “Portanto, se não sabem o nome pelo qual são chamados, não podem ter lugar no reino de meu Pai”. Obter um lugar no reino de nosso Pai Celestial é um grande privilégio, mas saber e lembrá-lo sempre é uma grande responsabilidade e seu esquecimento pode trazer eternas consequências. No ano 124 a.C. Num sermão ao seu povo, o rei Benjamim ensinou: “E quisera que também vos lembrásseis de que esse é o nome que eu disse que vos daria e que nunca seria apagado, a menos que o fosse devido a transgressão; portanto, tomai cuidado para não transgredirdes, a fim de que o nome não seja apagado de vosso coração. Digo-vos: Quisera que vos lembrásseis de conservar sempre o nome escrito em vosso coração, para que não vos encontreis à mão esquerda de Deus, mas para que ouçais e conheçais a voz pela qual sereis chamados e também o nome pelo qual ele vos chamará (Mosias 5:11-12). Tenhamos portanto o cuidado de não transgredirmos para que não seja apagado de nosso coração o nome de Cristo e assim sendo, possamos juntos usufruirmos do grande e sagrado privilégio que é estar ao lado de nosso Senhor e mestre Jesus Cristo no reino Celestial.