Por que estudamos as escrituras?

No último dia 29 de janeiro, estive em São Paulo numa convenção da empresa onde trabalho, Sistema Educacional, e me deparei com uma pergunta muito interessante feita por um de nossos administradores, Rory Bigelow: Por que estudamos as escrituras? A platéia questionada era composta de aproximadamente 200 pessoas, entre elas, coordenadores, diretores e regionais, todos com suas respectivas esposas… evidentemente que eu mesmo já havia muitas vezes em minha vida me deparado com essa pergunta em sala de aula ou em questionamentos pessoais e certamente devo ter feito muitos esclarecimentos sobre o tema em respostas pessoais; entretanto nunca dantes, essa pergunta tocou-me tão profundamente… mesmo durante a palestra senti-me fortemente sensibilizado e desejoso de conhecer a real razão… enquanto alguns comentavam as respostas possíveis, outros meditavam silenciosamente, entre estes, eu, aguardando uma sábia resposta… Certamente me vieram a mente muitas das razões conhecidas pelas quais supomos estudar as escrituras… entre elas, com a melhor das intenções:1- Estudo as escrituras para conhecê-las mais intensamente ; 2-Estudo as escrituras para responder aos meus alunos com mais segurança; 3-Estudo as escrituras para conhecer melhor as doutrinas da Igreja; 4-Estudo as escrituras para que meus líderes saibam que estou fazendo a minha parte; 5-Estudo as escrituras para que eu possa ter o Espírito comigo; 6-Estudo as escrituras para receber as bençãos do Senhor; 7-Estudo as escrituras para conhecer a vida e os ensinamentos dos profetas; 8-Estudo as escrituras para ser um exemplo para meus amigos e familiares; 9-Estudo as escrituras para saber a vontade do Senhor; 10-Estudo as escrituras para aplicá-las em minha vida pessoal; 11-Estudo as escrituras para saber como dirigir à Igreja em minhas responsabilidades; 12-Estudo as escrituras para receber revelação pessoal; 13-Estudo as escrituras para conhecer Doutrinas; enfim poderia citar muitas outras razões… após alguns segundos de silêncio, aquele sábio irmão nos ensinou que simplesmente estudamos as escrituras para nos “relacionarmos com o Senhor”, para “conhecermos o Senhor”. É mesmo uma grande verdade… as outras coisas virão como consequência do seu “relacionamento pessoal com seu Salvador”; Percebi claramente que quanto mais intenso e profundo for meu relacionamento com o Salvador, mais intenso e profundo será meu relacionamento com o próximo; quanto mais eu aumentar meu relacionamento com o Mestre, maior será a probabilidade de servir melhor e mais o meu semelhante. Assim sendo, claro que todos os motivos pelos quais estudamos as escrituras são importantes, porém não essenciais, pois a verdadeira motivação deveria sempre ser “aumentar nosso relacionamento pessoal com o Senhor”. Alguns anos atrás, o Presidente Spencer Kimball, nos ensinou: “Percebo que, quando negligencio meu relacionamento com a Deidade e tenho a impressão de que nenhum ouvido divino está escutando o que digo e nenhuma voz celestial está falando comigo, parece que estou muito, muito longe. Se mergulho nas escrituras, a distância diminui e a espiritualidade volta”. (Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer W. Kimball, 2006, p. 75). Quando negligenciamos esse relacionamento com a Deidade, que é claramente estreitado através do estudo regular das escrituras, surge naturalmente um distanciamento entre nós e nosso Mestre, trazendo consequências trágicas para nossas vidas. Oxalá, possamos nós, doravante, aprimorar nossos reais motivos pelos quais estudamos as escrituras e colocarmos nesse ideal, nosso foco de estudá-las para estreitar nosso relacionamento pessoal com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.